PROFECIA TROPICAL, 2019 – MANTA ASFÁLTICA LÍQUIDA SOBRE TELA /LIQUID ASPHALT ON CANVAS. 40x35cm CADA PARTE DE 9 /EACH PART OF 9.
_MG_4877-copy.jpg
FOTO DE/ PHOTO BY FILIPE BERNDT
_MG_4817-copy.jpg
FOTO DE/ PHOTO BY FILIPE BERNDT
_PORT

Essa série – pintada com tinta asfáltica – designa a catalogação das espécies de palmeiras encontradas no Brasil, como estratégia para traçar um paralelo entre botânica e linhas de força eletromagnética.

Qualquer planta, seja árvore ou não, facilita a penetração da água e da umidade no solo para a alimentação dos lençóis freáticos. Em outras palavras, qualquer planta permite a comunicação otimizada entre a atmosfera e as abafadas profundezas do solo.

Quando chove, a planta incorpora água através de seus tecidos externos. Quando há sol suas folhas tratam de devolver a umidade ao espaço, além de absorver os raios ultravioletas para o inicio da fotossíntese, gerando assim gases e açúcares. Pelas raízes, a planta suga da terra os compostos nitrogenados, além de fósforo e potássio. Por fim, o tronco forma um cilindro vascular vertical que permite basicamente a comunicação entre o sol e a sombra através da sua estrutura arborescente.

O céu e a terra se conectam mediante várias possibilidades. No entanto há duas maneiras diretas de se conectar uma dimensão à outra: através do sistema de absorção vegetal, ou sob o efeito explosivo de uma descarga atmosférica.

Assim sendo, as plantas pouco tem de diferente se comparadas a satélites, sejam eles naturais ou artificiais. Isso evidencia a possibilidade de se vislumbrar através de uma planta, uma complexa estrutura eletromagnética. Sais, açúcares, água, gases, tudo isso está em plena função de transporte ativo e passivo dentro do corpo da planta. Desse modo, permite-se um mapeamento das linhas de força de campos eletromagnéticos ocorrentes no interior de cada espécie de palmeira.

A palmeira como qualquer planta absorve, reflete e emana as funções vitais da terra. Uma antena? Um para-raios? Apenas um vegetal? Penso ser mais pertinente descrevê-la como uma profecia da física, disfarçada de exuberante resolução estética. Um conjunto de enigmáticos acontecimentos da natureza, resumidos num só corpo verde. E representadas nesses desenhos, com o uso de um material negro, betuminoso, também oriundo das profundezas do solo.

Faraday (1791 – 1867) propôs que as linhas de força partem do lado mais fraco do campo eletromagnético e convergem para onde o campo é mais forte. Essas linhas são invisíveis a olho nu, e geralmente curvas. Suas tangentes dão a direção do campo elétrico e por consequência dão sentido e força ao campo

magnético.

Em suma, Profecia Tropical defende que através de tais linhas de força, é possível questionar a intensidade dos campos eletromagnéticos de um determinado ponto no espaço interno e externo das palmeiras. Desse modo, será possível demonstrar por meio de enigmas desvendados por Faraday, o formato que terá cada espécie da planta que é símbolo nacional.
 
_

_ENG
Metalinguistic is a series that uses microwave oven doors as base for eight oil paintings. They are figurative and narrate a saga of physical-chemical experiments responsible for canonizing certain paradigms that pertain to the contention, dispersion, distribution, fission and explosion of energy as physical quantity.

This work is part of an empiricist thought inherent in working whith art. It uses the field of metalinguistics, in which the support of this piece triggers a dialogue with its own content, at the same time that the metallic material shows up as an active thing toeards the work’s concept.



_
FOTOS DE/ PHOTOS BY FILIPE BERNDT